Ministério da Família

O pequeno vândalo que mora em casa…

Crianças a quem se permite pegar ou destruir o que querem, crescem com sérios defeitos de caráter.

crianças sem domínio-próprio

Existe um black-bloc em sua casa?

Já viu crianças sem domínio-próprio, descontroladas, sem a mínima noção de propriedade, black-blocs em miniatura, que são o terror dos anfitriões quando vão com os pais a uma visita? E pais que apenas olham e sorriem compassivamente, admitindo sua impotência, mas sem se importar com isso? Outros, chegam a perder a liberdade, temendo sair de casa com o pequeno vândalo…

O que fazer? No livro Orientação da Criança, Ellen G. White diz que a falta de cuidado nesta questão trará sérios problemas de caráter para os filhos, relacionados a noções equivocadas de propriedade e ordem. Desde o Éden, nossos primeiros pais já tinham coisas que, apesar de vistas, não podiam ser tocadas. E estas coisas tinham papel importante na formação de seu caráter e espiritualidade. E nós, adultos, ainda hoje temos coisas nas quais não podemos, e às vezes, não devemos, mexer. Ou não nos pertencem, ou não nos convém. Agora imagine como fica a vida matrimonial, laboral ou espiritual, de um adulto que não foi ensinado a respeitar limites quanto à propriedade e ordem.

Veja o que diz esta autora inspirada por Deus: “Mães, ensinai as crianças desde a mais tenra idade que não devem considerar tudo na casa como brinquedo seu. Por estas pequeninas coisas ensina-se a ordem. Não importa quanta algazarra possam as crianças fazer, não permitais que o instinto de destruição, que é grande na infancia e na meninice, seja fortalecido e cultivado… Sem perderem a paciencia, mas decididamente, devem os pais dizer aos filhos: ‘Não’, e ficar firmes.” Ellen G. White, Orientação da Criança, pág. 59.

Veja também este outro texto: “Alguns pais permitem aos filhos serem destruidores, usar como brinquedo coisas que eles não têm o direito de tocar. Deve-se ensinar às crianças que elas não devem pegar nas coisas que pertencem aos outros. Para o conforto e felicidade da família, devem aprender a observar as regras de propriedade. As crianças não são mais felizes quando se lhes permite pegar em tudo que vêem. Se não forem ensinadas a ser cuidadosas, crescerão com traços de caráter desagradáveis e destruidores.” Ellen G. White, Orientação da Criança, pág. 59.

Claro que para educar à criança desta maneira, é muito importante a presença da mãe em casa, formando fortes vínculos com a criança. E, é claro, vínculos são formados através de duas realidades: afeto e tempo. E tempo de qualidade, significa tempo em quantidade. Pouco tempo não causará o efeito de formar vínculos afetuosos o suficiente para estabelecer limites. E limites sem vínculos, soam como truculência aos ouvidos da criança, despertando a rebelião. Para mais sobre estes assuntos, recomendo “Orientação da Criança”, de Ellen G. White, na versão brochura ou encadernado. Outro livro excelente é o “Como Ajudar Seu Filho a Amar a Jesus“, de Donna Habenicht.

Se seu filho tem muita energia, peça a Deus sabedoria e discernimento espiritual para canalizar toda esta força no preparo para o serviço do Senhor!

Marcos Faiock Bomfim
Ministério da Família/DSA

  • Ana paula almeida da costa oli

    Amei,essas orientações,mim ajudou muito a refletir sobre como estou educando os meus fihlhos,se realmente estou impondo regras e limites.gostaria muito de ter mais tempo com eles…….

    • Marcos Bomfim

      Oi, Ana! Que bom que lhe fez bem! Persevere agindo e orando por seus filhos, e não deixe de ler o livro “Orientação da Criança”.